» História

O Surgimento da Moeda



Um ser humano pode produzir tudo o que necessita para sua sobrevivência? Suponhamos que ele seja produtor de trigo: é possível ele calçar trigo, vestir trigo e só comer trigo? Claro que não.

Dessa impossibilidade estabeleceu-se uma relação entre os homens: a troca das mercadorias que produzem.

Por meio da troca, o produtor de trigo podia obter calçados, roupas ou outras necessidades. Bastava para isto dar a quantidade de trigo correspondente à quantidade da outra mercadoria.

Esse processo apresentava, contudo, um problema: imagine que o nosso produtor de trigo esteja interessado em café, mas nenhum produtor de café esteja interessado em trigo. Dessa forma, a troca não poderá ser realizada, uma vez que para isso deve haver interesse de ambas as partes.

Esse problema foi resolvido com a criação da moeda-mercadoria, geralmente a mais produzida e a mais procurada, que passava a ser aceita, não necessariamente para o consumo, mas para ser trocada novamente. Esta foi a primeira forma de moeda na nossa história.

A moeda serve, então, como um meio de troca e muitos mercados passaram a ter sua moeda específica.

Uns usaram o gado, que do latim pecus deu origem à palavra pecúlio, e outros o sal, daí o termo salário. Essa diversificação de moedas-mercadorias em diferentes mercados dificultava as trocas entre os grupos sociais.

Além disso, um animal vivo ou um balde de sal não eram as melhores formas de 'carregar' dinheiro.

Problemas como esses fizeram com que se criasse a moeda metálica. Pequena e de fácil transporte, seu poder de compra era equivalente ao valor do material com que era fabricada. Inicialmente utilizou-se a prata e o ouro.

Contudo, o manuseio dessas moedas fazia com que elas se desgastassem e perdessem seu valor. Então, optou-se por metais como o cobre e o níquel, que até pouco tempo eram sinônimos de dinheiro.

Paralelamente, foram criadas pequenas firmas que se comprometiam a guardar as moedas. Como prova de recolhimento emitiam um recibo registrando a quantia guardada. Nasciam, portanto, os primeiros 'bancos' e os primeiros papéis-moeda.

Uma vez que as pessoas que deixavam seu dinheiro guardado não o consumiam imediatamente, os donos dessas firmas resolveram diversificar suas funções emprestando dinheiro, o que mais tarde se constituiria no sistema de crédito.

Na verdade, dinheiro nada mais é do que uma convenção social, uma relação entre os homens que se dá na troca entre mercadorias.

A instituição do crédito foi o elemento propulsor do surgimento de um tratamento matemático na Economia. O crescente desenvolvimento das transações comerciais exigia um cálculo específico e o desenvolvimento de um aspecto particular da Matemática: a Matemática Financeira.


Comentar

Seu Nome:
Seu E-mail:
Comentário:
   
 

Comentários

13/08/2011 - telton Mabunda - telton.mabunda@gmail.com
Interessante,aprendi mais uma vez.

11/05/2010 - aparecida - tiazinha2@hotmail.com
eu achei muito legal pois e so copia cola e proto caboooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

16/02/2010 - Zenilton - crisffal@yahoo.com.br
Achei interessante a matéria e estou enviando pra você, epero que possa apreciar.

Abraços,



» Saiba mais

A História do Pi

A História dos Números Negativos

A Origem dos Números Naturais

A Origem dos Números Concretos

A Origem do Grau

A Origem da Geometria

A Origem da Álgebra

A Origem dos Algarismos

A Origem das Equações do 1º Grau

História da Geometria Analítica



Copyright © 2003/2010 Todos os direitos reservados - amintas@matematiques.com.br

Desenvolvido por Ronnan del Rey